Rua Agudos, 46 Campinas-SP
+55 19 998316548
contato@i2p.com.br

“Se quer tirar o mel, não espante a Colméia!”- Dale Carnegie

Muitas pessoas e líderes tem seu pensamento rodeado por questionamentos sobre a falta de compromisso, de engajamento de companheirismo, compreensão de outras pessoas que os cercam, sejam liderados, amigos, entes próximos e as causas dos comportamentos “indesejados” está na condução do relacionamento, sob vários aspectos. Por isso, vamos falar sobre a crítica.

Presenciamos, diariamente, nas redes sociais, na política e nas relações humanas um ambiente social de pouca empatia, de divisão, de imposição de ideias, onde quem não concorda com o que pensamos não merece nossa atenção. 

Vimos a sociedade nos últimos anos se dividir como há muito não se via pela falta de empatia, pela falta de compreender e ouvir as razões dos outros e de construir pontes.

Dale Carnegie em sua obra sobre fazer amigos e influenciar pessoas traz muitas reflexões sobre a forma de relacionamento, sobre o entendimento do outro, sobre empatia e, em determinado ponto aborda a questão da crítica.

A crítica é uma das questões mais delicadas em um relacionamento porque parte do pressuposto de que alguém está “errado”, e, por isso,  precisa “ser corrigido”. Ao nos posicionarmos como os detentores da razão, colocamos automaticamente o outro na defensiva, direcionando seu raciocínio para justificativas e explicações, ao invés de reflexões e auto compreensão. 

É uma questão delicada porque fere o orgulho, mexe com o senso de importância e pode gerar ressentimento. E quanto mais nos aprofundamos na crítica, insistimos para que a pessoa “aceite” nossa “razão”, mais a pessoa criticada tende a se proteger e isso abre um abismo na conversa, por que não compreendemos as “razões daquela pessoa”.

Ao se preparar para fazer uma crítica, pense antes: que tipo de atitude gostaria de despertar na pessoa que pretende criticar? Que resultados gostaria de obter a partir daquela conversa?  Acredita que este é o caminho mais adequado?

Dale Carnegie, recomenda que, antes de condenar e criticar os outros, procuremos vestir suas sandálias, compreender as razões pelas quais fazem o que fazem. Essa atitude é muito mais positiva do que a critica,  gera empatia, tolerância, bondade e compromisso mútuo.

Então, antes de iniciar uma crítica, procure fazer uma reflexão profunda sobre as razões daquela pessoa para agir de determinado modo. A compreensão verdadeira, gera compromisso e uma relação mais verdadeira e madura. Quer mais engajamento de sua equipe? Uma melhor relação conjugal? Um relacionamento produtivo com os filhos?

Que tal buscar uma nova abordagem? Pois, seu queremos obter o melhor, tirar o mel, não devemos espantar a colméia! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat